quarta-feira, março 14, 2007

Revista Veja

Observem como a revista Veja desta semana informa sobre o falecimento de pessoas das quais ela não gostava.

Morreram:

. dom Ivo Lorscheiter, bispo de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Durante o regime militar, à frente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), ele denunciou as torturas e os assassinatos de esquerdistas nos porões dos quartéis. Lorscheiter foi um dos principais defensores da Teologia da Libertação, uma excrescência saída da cabeça de padres ideólogos latino-americanos que tentava conciliar cristianismo e marxismo. (...)O bispo também apoiou a criação de bandos armados que, a pretexto de lutar pela reforma agrária, deram origem ao MST. Dia 5, aos 79 anos, de falência de múltiplos órgãos, em Santa Maria.

• o ensaísta francês Jean Baudrillard. Sociólogo de formação, ele ganhou fama escrevendo textos obscuros, muito populares nos cursos de semiologia. Baudrillard fazia arrepiar de entusiasmo o pessoal da pós-graduação, com seu papo-cabeça sobre a "virtualidade" do mundo contemporâneo. Dizia, por exemplo, que a Guerra do Golfo "não existiu". A trilogia cinematográfica Matrix faz menção a suas idéias. Talvez ele tenha sido mesmo um bom autor de ficção científica. Dia 6, aos 77 anos, de câncer, em Paris.

Dom Ivo denunciou as torturas e os assassinatos de esquerdistas e apoiou a criação de bandos armados e a excrescência chamada Teologia da Libertação. Baudrillard tinha papo-cabeça e talvez tenha sido um bom autor de ficção científica.

Isso prova que a boçalidade, a simplificação e o desrespeito para com o leitor não tem limites na mídia brasileira.

(texto enviado por um amigo)


2 comentários:

zeca, o cafona disse...

Sem dúvida, uma vergonha. Tanto a mídia quanto o governo brincam com o povo. Ditando idéias, conquistam simpatizantes e fazem do país um lugar onde que aquele que se opõe a tais idéias não passe de um ridículo perante tamanha ignorância.

Fernando disse...

Alberto, também compartilho contigo sobre absurdos que a mídia apresenta ao leitor. A propósito da Veja, tenho sugerido que ninguém mais assine a publicação. É a forma de protestar contra tamanha aberração.
Aliás, pra você que é físico e professor de meu filho, pode me explicar o que 117 caixas de concreto estão fazendo nas laterais do prédio do Tribunal de Justiça na Praça central de Porto Alegre?
Abraço.
Claudio Sommacal